Page images
PDF
EPUB

CANTO V.

A

PRIMAVERA púdica s'esconde Do audaz ardor com que a persegue o Estio. As horas inflammadas madurecem Os varios fructos que dos troncos pendem: As pétalas inuteis o Sol cresta, De novo traje os campos se revestem.

O Rei dos Astros com giganteo passo, Com affavel sorriso se despede Desses dois Argonautas, que alternados (1) Gemem no Averno, ou que no Ceo scintillam. Altiro se adianta, e da Balança Os pesos, que equilibram o Universo, Com podêr invencivel verifica. Então o nono mez, com serio aspecto, Do anno, que declina, o termo avista.

Na estação em que prodiga a colheita
Os rusticos trabalhos recompensa,
Eu tambem, imitando os lavradores,
Eu, de penas cançada, n'um deserto
Um dia adormeci; e logo um sonho,
As visionarias azas estendendo,
De meu sentido e mente tomou posse.

Julguei-me nas espheras collocada, Onde em constellações brilhantes moram Nymphas, Heroes, que a terra produzira. Nos atrios, onde Astréa reluzente A innocencia protege, me sentava: Quando em carro lustroso avisto perto A Nympha que ultrajou de Cinthia os ritos, (2) E qual ursa feroz bramio na terra. Já compassivo Jove, e poderoso, Lhe tinha restaurado a forma bella; E o rico manto azul que a revestia Era d'estrellas todo salpicado. Em ponto mais pequeno, e d'igual forma, O filho junto della reluzia.

Dos espaços immensos despedido,
Com passo irregular vinha marchando
Um gigante estrangeiro, um astro novo, (-)
Que ao palacio lustroso d'Arcas chega;
E assustada Calisto assim lhe grita:

« Quem és tu, temerario? Qual destino
Te obrigou a tentar esta vereda,
Onde a prole de Jove augusta habita ?
Nenhum profano invade estas moradas.
Esse lustroso séquito que trazes,
Essa coma brilhante os mortaes cega:
Mas Calisto immortal da leis á terra,
E nestas plagas com seu filho impera. »

O magestoso sêr assim replica:

(*) Allusão ao Cometa de 1812.

« Nympha gentil, a quem erros ditosos
Do Ceo a estrada abriram, não te queixes
Se sigo as leis que o meu systema regem,
E se, cumprindo-as, teu dominio avisto.
Ah! se fosses piedosa ! ah! se tu fosses
Sensivel como és bella, meu desterro
Pudera commover-te, bem que sejam
Virtudes infelizes causa delle.
Eu tambem, como tu, na quarta esphera
Tive origem terrena; eu fui Egeria, (3)
Nympha que a Numa decorou verdades
Que immortalisam Reis quando as conhecem. ».

« Egeria! oh Ceos! (então Calisto exclama) O teu caminho segue, Nympha austera ; Precipita essa rapida carreira; Foge de mim: o Fado não consente Á virtude venturas como ao crime. Eu sou constellação; tu astro errante; Bem que astro sejas, teu aspecto assusta... >>

Acordei revoltada co' a injustiça Possivel, bem que alli fosse chymera; Mas os serenos Ceos me consolaram.

Vi para o norte esse astro vagabundo (*), Cujos cabellos soltos e luzentes A noite adornam: vi esses diamantes Que o Firmamento escuro cravejando São do Astronomo estudo e são recreio, E a terra instruem do podêr divino.

() O Comcta de 1812.

Esperei a manhà; e contemplando
Á luz do Ceo a terra, vi florida
A complicada e vasta Syngenesia. (4)
O essencial caracter desta Classe
Na união d'antheras só consiste:
Este signal de vista não percamos,
Que é fio d'ouro em denso labyrintho.

Como a Deos tudo é facil! Como brinca Co' a materia creada, e formas della ! Magnifica, resume, estende, ou coarcta: Mas brilha em tudo a dextra omnipotente.

Difficil é na extensa Syngenesia
Achar signaes genericos que indiquem
Com distincção quanto ella comprehende.
O perspicaz Linneo prescreveo formas
Que nas flores compostas determinam
Departamentos taes, que a Musa alegre
O campo explora, sem temer enganos.

O Malmequer, que os prados hoje esmalta, Da congeneração mostra o modelo. Quantas flores contêm, fingindo-se uma! Todas completas com pistillo e germe, Estames e semente; e tão perfeitas Quaes essas em que Flora mais se esmera.

Esses pontinhos que no centro moram,
E parecem migalhas amarellas
Que, apinhadas, os olhos mal distinguem,
São florinhas completas: tal certeza
Nos communica a lente pelo estudo.

As pétalas que o disco circunserem
São semi-flores de outra cor e forma: 5)
Tem as primeiras de um Jacintho a graça ;
A Madre-silva as outras arremedam.
Mas tal combinação existe entre ellas,
Que em tres secções a tribu se reparte:
Possam meus frouxos versos cantar dellas!

São tudo semi-flores na primeira :
E apenas movo os passos pelos campos,
Tufos verdes encontro de uma planta
Cujas folhas imitam, recortadas,
De carnivore fera o dente agudo.
Quando florece o Taraxaco, exemplo (6)
Dão do que digo as liguladas flores, ,
Que uma só flor dourada nos parece.

As flores flosculosas ás quaes falta A pompa da corolla, ou semi-flores, São differentes, são menos ornadas; Porém rica a segunda secção fazem. ·

Qual cercando um palanque ás vezes vemos
A capitata plebe d'eleitores (*)
Brotar Solons, Lycurgos; capitatas (7)
Tambem as flores em congresso vemos;
Porém seguem sem lutta as leis eternas.

Na terceira secção sempre no centro
Veremos as florinhas encravadas
Que as semi-flores, cortejando, cercam.

(.) Allusão ás eleições dos membros do Parlanıenlo em Inglaterra..

« PreviousContinue »